E.C. 7 de Setembro – Também uma paixão em minha vida

E.C. 7 de Setembro – Também uma paixão em minha vida

Coisas da bola

Coisas da bola são relatos de fatos vividos por mim, histórias contadas por amigos e outros frutos da minha imaginação.

Qualquer semelhança será puro acaso.

“Jair da Silva Craque Kiko”

Por ter defendido essa gloriosa equipe durante 10 anos e, ter participado praticamente em todas as suas conquistas, sinto o imenso prazer em contar um pouco da sua história, principalmente em agradecimento ao povo da cidade de Dois Vizinhos que me acolheu como se eu fosse um dos seus.

Entre os anos de 1973 e 1988, o município de Dois Vizinhos no Estado do Paraná, viveu o seu melhor momento no meio esportivo. Com uma equipe formada por atletas de alta qualidade técnica, o E.C. 7 de Setembro se consolidou como o grande vencedor de títulos no futebol amador do sudoeste e Estado do Paraná. Além de seus craques e técnicos, uma diretoria de competência que também trabalhava nos bastidores, fazia parte de um daqueles três pilares de sustentação do clube, pois em jogos importantes não media esforços e providenciava caminhões para buscar os torcedores no interior do município. Todo jogo era com casa cheia.

Disputando o campeonato regional pela Liga Beltronense de Futebol foi campeão nos anos de 1973,1978,1981,1984,1986 e 1987. Também pela mesma liga foi oito vezes vice-campeão. Já pela Liga de Quedas do Iguaçu foi campeão invicto no ano de 1985.

A nível estadual foi duas vezes vice-campeão nos anos de 1980 e 1984 e, em 1987 conseguia o título máximo desta competição.

Em 1980, após ter empatado em casa, sucumbiu na decisão final na cidade de Campo Largo diante da equipe do Internacional, perdendo por 3 tentos a 1. Saiu perdendo por 1 a 0, empatou através da cobrança de uma penalidade máxima através de Kiko, mas se rendeu  ao ótimo futebol praticado pelo time da casa.

Em 1984, foi derrotado na primeira partida da final no Estádio Francisco Muraro (Bairro Santa Felicidade) pela equipe do Trieste de Curitiba, por 4 x 1, em um jogo marcado pela péssima arbitragem do mediador. No jogo de volta no Estádio Alto da Colina, com lotação total, 5.000 torcedores e renda de quase 12 milhões de cruzeiros, também foi derrotado, só que dessa vez por 2 x 1. Saiu na frente do placar através do gol de Rui Picolotto e, com quatro expulsões, dois atletas de cada equipe, terminou o primeiro tempo vencendo por 1 a 0. Cedeu o empate aos 30 minutos do tempo derradeiro. Demonstrando melhor preparo físico, a equipe triestina conseguiu virar o placar para 2 a 1 aos 41 minutos e sagrou-se campeã da competição em pleno Estádio Alto da Colina. Enquanto os atletas do Trieste  comemoravam o título dentro das quatro linhas, os torcedores do 7 de Setembro teimavam em ficar em pé nas arquibancadas, gritando palavras de ordem em protesto contra alguns de seus atletas que não renderam o esperado.

O Trieste, aliás, é o maior ganhador de títulos dessa competição.

Enfim, no ano de 1987, E.C. 7 de Setembro após ter empatado em 02 x 02 na primeira partida da final, em Santa Felicidade,na capital paranaense, em um jogo sensacional, conseguiria o seu maior feito, derrotaria no jogo de volta, a equipe do Trieste de Curitiba por 2 x 0, seu algoz em 1984 e, se tornaria campeão jogando diante da sua imensa torcida (6.000 torcedores). Gols de Ferrinho e Piosko.

Campanha do título:

Realizou 20 jogos. Obteve 12 vitórias, 07 empates e somente uma derrota. Balançou as redes adversárias 41 vezes e levou 12 gols. Além do título da competição também teve o artilheiro da mesma, através do centroavante Ferrinho que marcou 18 gols e ganhou a chuteira de ouro.

Comandados pelo treinador Gaúcho fizeram parte do elenco campeão os atletas: Paulão Bellé, Itamar, Kiko, Bonissoni, Jander, Mânica, Rui Picolotto, Tadeu, Bigu, Piosco, Ferrinho, Marcos, Radin, Walmir, Mão, Toniel e Tonico.

Ao longo de sua história esportiva, o E.C 7 de Setembro sempre teve presidentes atuantes, podemos destacar, além do seu presidente Hours Concours, Jaime Guzzo, o senhor Gelsonoir Leiria Neco.

No comando técnico da equipe se destacaram Euclides Pinzon, Rogerio Rossi Pagnocelli (também jogador) e Gaúcho.

Como destaquei que a qualidade técnica dos jogadores era acima da média, dois atletas sempre fizeram a diferença em todos os campeonatos disputados. O meia atacante Rui Picolotto e o centroavante Ferrinho desequilibravam.

7 DE SETEMBRO DE DOIS VIZINHOS

Vice-campeão da Taça Paraná de 1980.

295722_293028414149089_871950787_n

Decisão da Taça Paraná de 1980 – Jogo no Estádio Alto da Colina. Toscan e Volmar Bin (ao fundo), Ferrinho, Parodinho, Galeno, Paulo Chines e Kiko (ao fundo) .

Compartilhe Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+

Comente pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>